CONTATO
3255-4577 98596-1006
<div class='title'>Peeling de Cristal</div>
                O tratamento que a sua pele precisa! <div class='title'>Massagem Corporal</div>
                Saudável e Relaxante <div class='title'>Estimulação Russa</div>
                Valorize seu corpo

ARTIGOS

CELULITE GUERRA DAS MULHERES

Celulite saiba mais

"A celulite é basicamente um problema circulatório, de modo que a
quantidade de gordura das células determina a passagem de sangue que passa entre elas."

Para conhecermos o processo de formação da celulite precisamos ser apresentados ao lipócito, que é a célula de gordura responsáveis por receber o excesso de gordura proveniente da alimentação. Com o aumento de gordura nestas células, elas acabam se aproximando umas das outras e, posteriormente, juntando-se, de modo a gerar, então, um grande vacúolo que ocupa quase toda a célula. Com a deposição de gordura, a célula toda aumenta de tamanho. O tecido gorduroso, que fica embaixo da pele, é formado por um grande número de lipócitos.
Entre os lipócitos correm os vasos e as artérias, que trazem o sangue, oxigênio e nutrientes, e as veias e linfáticos, que transportam o sangue e os produtos do metabolismo de volta para a circulação, num processo contínuo. A quantidade de lipócitos é diferente nas pessoas com tendência a serem magras, que possuem menos e, nas pessoas com tendência a serem obesas, que possuem mais. No tecido gorduroso existem também as fibras, que separam os grupos de lipócitos.
É por causa das características destas fibras que as mulheres desenvolvem celulite e os homens muito pouco. Nas mulheres, as fibras são finas e perpendiculares à pele, ligando ela ao tecido muscular mais profundo. Nos homens, as fibras são mais grossas e se ligam à musculatura de forma oblíqua. Quando o tamanho do tecido gorduroso na mulher aumenta, por causa da acumulação de gordura, este tecido se expande em rumo à pele e, quando o mesmo acontece no homem, as fibras resistem à expansão em direção à mesma, levando o tecido gorduroso em direção à profundidade, não aparecendo, assim, as irregularidades da celulite.
O tecido gorduroso aumentado vai comprimir as veias e linfáticos formando um edema (inchaço) que aumenta ainda mais o volume do tecido e acelera o processo de celulite. O hormônio feminino dirige mais gordura para regiões como o quadril e alteram a parede das microveias, piorando mais as condições circulatórias e agravando a celulite, em um ciclo vicioso que agora se inicia e que se não tratado, tende à perpetuar. Os estágios de celulite vão acontecendo desde Celulite Estágio I, quando existe apenas um aumento de volume das células, com um pequeno edema, até estágios mais avançados, onde ocorre uma completa desorganização do tecido gorduroso e aparecimento de nódulos e depressões (os temidos buraquinhos)

DRENAGEM LINFÁTICA

Drenagem linfática se trata de uma técnica para o tratamento da celulite que atua no auxilio do processo de eliminação das impurezas que são acumuladas nos espaços entre as células dos tecidos. Seu principal objetivo é eliminar o excesso de líquidos e/ou toxinas, de modo a melhorar a oxigenação dos tecidos, bem como, a nutrição dos mesmos.
Pode ser realizada de duas formas, sendo uma manual e outra com a utilização de aparelhos. São realizados movimentos circulares e suaves sobre os pontos em que estão situados os vasos linfáticos. Ao contrário do que muitas pessoas pensam, esse tratamento não causa qualquer tipo de lesão, pois os movimentos devem ser feitos de forma leve, pois os vasos linfáticos estão sob uma camada muito superficial.
Com a Drenagem Linfática é possível diminuir medidas resultante da perda dos líquidos retidos. Ainda assim, os resultados variam de acordo com o grau de celulite de cada paciente.

Estagio da celulite

A celulite se apresenta em quatro (4) estágios:

Condição normal

Na condição normal, o tecido gorduroso é ricamente irrigado, as células gordurosas são de tamanho e formas normais. Os vasos são eficientes e têm formato normal. Não existe edema e a termo grafia é normal.

CELULITE ESTÁGIO I:

Ocorre um aumento de volume das células do tecido gorduroso na região afetada, ocasionado por acúmulo de gordura dentro da célula. Não existe alteração circulatória nem dos tecidos de sustentação, apenas uma discreta dilatação das pequenas veias do tecido gorduroso. Não há sinais visíveis na pele e nem dor.

CELULITE ESTÁGIO II:

As células gordurosas ficam um pouco mais cheias de gordura, sendo que as que ficam na parte mais profunda começam a sofrer o mesmo processo. Já aparece certo grau de fibrose que, se piorar, começa a formar micro nódulos na fase seguinte. O aumento do volume das células provoca alteração circulatória por levar à compressão das micro veias e vasos linfáticos. O sangue e a linfa (líquido aquoso que banha as células) ficam represados. Ocorre, então, um maior inchaço das células gordurosas e detritos tóxicos, que ao invés de serem eliminados, começam a ficar acumulados. Na pele, já é possível se observar irregularidades à palpação e ainda não existe dor alimentar. Os resultados são muito bons, se houver adesão ao tratamento, pode-se esperar a recuperação.

CELULITE ESTÁGIO III:


As células continuam aumentando de volume em razão da contínua aquisição de gordura. Ocorre uma desorganização do tecido e o aparecimento dos nódulos que apesar de mais profundos, são vistos como irregularidades na superfície da pele, mesmo sem a palpação. Começa a existir uma fibrose, que significa o endurecimento do tecido de sustentação (onde estão as fibras) e a circulação fica ainda mais comprometida, podendo aparecer os vasinhos e micro varizes. Neste estágio, a pele tem o aspecto parecido com "Casca de Laranja" cria a sensação de peso e cansaço nas pernas. Deve-se lembrar de que a celulite é basicamente um problema circulatório, e, nesse estágio, a circulação no tecido gorduroso já está comprometida.

CELULITE ESTÁGIO VI:

O inchaço desordenado das células gordurosas é acentuado. O tecido de sustentação se torna mais endurecido (fibroesclerose) e a circulação de retorno está muito comprometida. Nesse estágio, a celulite é dura e a pele fica "lustrosa", cheia de depressões e com aspecto acolchoado. As pernas ficam pesadas, inchadas, doloridas e a sensação de cansaço está freqüentemente presente, mesmo sem esforço.

 Mas, mesmo nestes casos de graus mais avançados, é importante tratar, porque se continuar sem atenção adequada poderá ocorrer uma piora ainda maior. Mas é importante que se saiba de antemão, para evitar frustrações futuras, que nos casos graves, o resultado será eficiente, mas não total. Deve-se lembrar de que cada pessoa é diferente, com diferentes apresentações da celulite, de modo que uma correta avaliação deve ser o início de qualquer bom tratamento.

Alimentação irregular

 
Comer mais que o necessário, assim como, dietas ricas em gorduras e carboidratos, ou maus hábitos alimentares (um exemplo é comer muito à noite e não comer de dia) aumentam a síntese e o armazenamento de gorduras, favorecendo a celulite. Tomar pouca água e abusar do sal dificulta a troca de líquidos do organismo, favorecendo a retenção de resíduos tóxicos do metabolismo celular (as células funcionam como uma fábrica que produz várias coisas úteis, mas esse trabalho todo produz um lixo, um resíduo tóxico, que precisa ser eliminado constantemente

Vida sedentária

A falta de exercícios físicos diminui muito o consumo de energia pelo corpo, o que facilita as sobras alimentares que serão transformadas em gordura. Além disso, as células perdem a capacidade de produzir energia e levam o organismo todo a ser mais apático, devagar. A vida das mulheres de antigamente não contava com as facilidades que existem hoje, como transporte fácil, eletrodomésticos, água encanada, etc. Uma mulher, há não muitos anos, tinha afazeres domésticos que estimulavam muito mais exercícios do que hoje, como tirar água do poço, ou andar para fazer suas atividades, por exemplo. As facilidades modernas tornam obrigatória a realização de alguma atividade física para evitar o sedentarismo que é muito prejudicial para a saúde como um todo e não somente para a harmonia corporal.